Lampreias

01/06/2009 at 15:13 (Conservação, Peixes, Vertebrados)

Durante os últimos 100 anos, o homem e as lampreias têm estado cada vez mais em disputa. Embora a lampreia marinha, Petromyzon marinus, pareça ter sido endêmica do Lago Ontário, ela foi desconhecida nos outros Grandes Lagos da América do Norte até 1921. O rio St. Lawrence – fluindo do Lago Ontário para o Oceano Atlântico – não constituiu uma barreira para a colonização por lampreias marinhas e os rios e riachos que deságuam no Lago Ontário mantiveram populações cercadas por terra. Durante suas migrações reprodutivas, as lampreias transpõem quedas d’água rastejando lentamente para cima com o auxílio de sua boca sugadora, mas os 50 metros das Cataratas de Niágara (entre o Lago Ontário e o Lago Eire) são demais até mesmo para as lampreias mais apaixonadas. Mesmo depois que o Canal Welland conectou os Lagos Eire e Ontário em 1829, as lampreias não invadiram imediatamente o Lago Eire; levou um século para que as lampreias se estabelecessem na bacia drenada por esse lago.

Petromyzon marinus

Petromyzon marinus

  De 1920 a 1950, as lampreias dispersaram-se rapidamente por toda a bacia dos Grandes Lagos. O fato surpreendente não é o de invadir as partes superiores dos Grandes Lagos, mas sim que levaram tanto tempo para iniciar a invasão. No entanto, uma vez alcançada a extremidade superior do Lago Eire, as lampreias conseguiram rápido acesso para os outros lagos. Lá elas encontraram condições adequadas e, por volta de 1946, habitavam todos os Grandes Lagos. As lampreias foram capazes de se dispersar sem restrições até que os interesses esportivos e comerciais se alarmaram com a redução do número de indivíduos de espécies economicamente importantes de peixes, tais como a truta, o bacalhau de água doce e a pescada branca de água doce. Lamprecidas químicos assim como barreiras elétricas e mecânicas têm sido empregados para promover a queda das populações de lampreias dos Grandes Lagos aos níveis atuais. Embora as populações de grandes peixes, incluindo os de valor comercial, estejam se recuperando, nunca será possível descuidar destas medidas contra as lampreias. O manejo incorreto (ou a falta de manejo inicial) das lampreias tem contribuído para a diminuição da pesca nos Grandes Lagos. É mais uma das centenas de histórias recentes da vida dos Vertebrata na qual a falha humana em compreender e avaliar o entrosamento natural da biologia de nossos parentes mais próximos tem levado a mudanças graves em nosso ambiente. A introdução de espécies exóticas (= não indígenas) é a principal causa de declínio, em todo o mundo, de muitas espécies de vertebrados, especialmente nos habitats aquáticos.

POUGH, H. F., JANIS, C. M. & HEISER, J. B. A Vida Dos Vertebrados 4ª Edição. Atheneu Editora, São Paulo, 2008.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: